Para muitos líderes de compras e rede de fornecedores ocupados, a diversidade de fornecedores ocupa o último lugar da lista do orçamento. Parte deste pensamento se dá porque os programas de diversidade de fornecedores parecem mais uma exigência regulamentar ou uma responsabilidade social corporativa do que uma oportunidade genuína de negócios.

A percepção equivocada tem como base três fatos sobre a diversidade de fornecedores nos Estados Unidos:

  1. O governo federal ainda é o único maior cliente de empresas fornecedoras cujos proprietários são mulheres e minorias sociais.
  2. Os governos estadual e local geralmente exigem que um determinado valor ou porcentagem de seus orçamentos sejam destinados aos gastos com empresas cujos proprietários são mulheres e minorias sociais.
  3. Muitas empresas e outras organizações, sobretudo as que assinam grandes contratos com o governo, também devem cumprir exigências similares.

Tendo em conta as muitas exigências e regulamentos governamentais que toda empresa deve seguir, a questão envolve muito mais do que o seu simples cumprimento. Quer saber o real motivo pelo qual mais e mais empresas de grande porte estão investindo pesado na diversidade de fornecedores? A resposta é simples: uma cadeia de suprimentos mais diversificada e inclusiva está ajudando elas a crescer e expandir seus negócios.

Não é fácil, mas vale a pena o esforço

Para os gerentes de compras dos setores público e privado, muitos dos quais também estão lidando com cortes no orçamento, alcançar todos esses níveis de exigências de diversidade pode ser desafiador. Para cumprir com suas obrigações fiscais e diversidade, os gerentes não precisam apenas do apoio organizacional, mas também de processos de compras consistentes que ajudem a apoiar uma cadeia de suprimentos mais diversificada.

Mas existe de fato um caso de negócios que estabeleça programas que recrutem ativamente empresas fornecedoras de propriedade de mulheres e minorias sociais? Um número cada vez maior de líderes conscientes da cadeia de suprimentos afirma que sim. Fabricantes e outras empresas com programas robustos de diversidade de fornecedores estão se beneficiando com:

  • Relacionamentos mais fortes com sua base de fornecedores,
  • Novas oportunidades de negócios, e
  • Uma cadeia de suprimentos mais ágil.

Considere esta estatística: o “poder de compra” combinado das empresas de propriedade afro-americanos, hispânicos e asiáticos-americanos é hoje de aproximadamente 3 trilhões de dólares. Com a população multicultural experimentando esse crescimento incrível, não é de se surpreender o fato de que mais e mais empresas estejam adotando a diversidade de fornecedores para permanecer competitivas.

Bons tempos, maus tempos

Qualquer gerente de compras que tenha passado por alguns ciclos de negócios entende que pode ser difícil estar ciente da diversidade em meio a períodos de desaceleração ou incertezas econômicas. Mas é possível. Por exemplo, há alguns anos, a Cargill precisou fazer um corte em seu seleto grupo de fornecedores passando de 17 para 12 a fim de melhorar a eficiência. Como o grande fabricante criou uma prioridade estratégica de não eliminar fornecedores de grupos tradicionalmente não representados, nenhuma empresa de propriedade de negros, latinos ou mulheres foi cortada durante o processo.

Na verdade, “ter perspectivas e práticas diversificadas e inclusivas em nossa empresa será cada vez mais crucial em face dos desafios econômicos sem precedentes”, declara Pat Hemingway Hall, presidente e CEO da HCSC. “Para sermos o mais inovadores possível, devemos capitalizar os talentos e competências de todos os nossos funcionários. Ao mesmo tempo, precisamos continuar prevendo e atendendo com eficácia às necessidades de nossa base de clientes, a cada vez mais diversificada, que enfrentará seus desafios únicos durante este período de dificuldade”.

Diversidade como um gerador de novos negócios

Executivos da Johnson Controls Inc em Milwaukee afirmam que conseguem fechar negócios diretos no valor de mais de 6 bilhões de dólares através de seu compromisso com a diversidade de fornecedores. Sendo fornecedora de primeira classe da General Motors e de outras montadoras há anos, o enfoque da empresa na diversidade a ajudou a firmar um contrato com a GM no final da década de 90.

Para se diferenciar dos demais concorrentes, a Johnson Controls procurou a GM e se ofereceu para formar uma joint venture com uma empresa de propriedade de minoria social para ajudar a GM a atender às suas metas de produção com materiais fornecidos pelas empresas de propriedade de minoria social. Agora, conhecida como Bridgewater Interiors LLC, esta joint venture se expandiu ao longo dos anos para fornecer componentes a outras grandes montadoras.

Quanto menor pode ser melhor

Como muitas outras contratadas do governo federal, aLockheed Martin deve buscar empresas certificadas de pequeno porte ou cujos proprietários pertencem a uma minoria social que oferece uma porcentagem de seus produtos. A definição do governo federal de uma empresa de propriedade de minoria social inclui pequenas empresas e empresas detidas por veteranos ou veteranos incapacitados.

Essa é comprovadamente uma vantagem competitiva, pois empresas menores são, de modo geral, mais ágeis e flexíveis do que os grandes concorrentes. “O que essas pequenas empresas fazem é realmente trazer inovação à nossa empresa de maneira muito mais rápida do que uma grande empresa, como a Lockheed Martin,” afirma Nancy Deskins, diretora de acordos corporativos e diversidade de fornecedores da Lockheed Martin.

Há também um enorme potencial inexplorado em alcançar empresas fornecedoras cujas proprietárias são mulheres. Embora as mulheres detenham o controle de um grande poder de compra no mundo todo, as empresas fornecedoras de propriedade de mulheres representam menos de 1% das vendas para as grandes multinacionais.

As empresas interessadas em firmar parcerias com empresas de mulheres podem encontrar líderes em potencial através da WEConnect International, uma organização sem fins lucrativos que colabora com várias agências internacionais, incluindo o The World Bank Group e o Departamento de Estado dos EUA para identificar e certificar empresas detidas por mulheres em todo o mundo.

Você ainda acha que não pode incluir um programa mundial de diversidade de fornecedores em seu orçamento anual? Já passou da hora de rever suas prioridades e calcular os benefícios em potencial de uma maior inclusão.